O USO DE ANTI-INFLAMATÓRIOS E O ATRASO NA RECUPERAÇÃO DAS LESÕES

O uso de anti-inflamatórios inibidores da COX 2 – ciclo-oxigenase 2 (enzima responsável pelo fenômeno de inflamação e pela síntese de prostaglandinas), como Diclofenaco, Nimesulida, Indometacina, Naproxeno e Piridoxicam, podem atrasar o processo de recuperação de um tendão ou músculo lesionados ao reduzir a resposta fisiológica aos microtraumas.

Em um processo de cura, tanto muscular como ligamentar, a área lesionada sofre um processo de inflamação, que estimula a irrigação sanguínea local, liberando os macrófagos responsáveis pela fagocitose das células lesionadas e liberando fatores de crescimento locais que irão estimular a substituição do tecido lesionado por um novo.

Ao inibir a inflamação, é gerada a inibição de todo este mecanismo. Ao contrário dos anti-inflamatórios, a carga mecânica apresenta efeitos positivos sobre a cicatrização, por isso não se deve evitar totalmente o movimento, a não ser que haja uma indicação médica específica.

Devemos lembrar que a dor é um sinal importante de que algo está errado. Assim, temos que estar mais atentos na maneira e na intensidade correta da prática da atividade. A melhora da dor nos informa o momento correto de se retornar ao exercício.

Nossos artigos tem caráter meramente informativo e não devem ser utilizados para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Consulte sempre seu médico.